Chuva provoca saída de mais de 64 mil pessoas na China

Quatro pessoas morreram e mais de 64 mil pessoas tiveram de ser evacuadas na China depois que o Rio Yalu provocou alagamentos na fronteira do país com a Coreia do Norte, inundando comunidades e destruindo mais de 200 casas. As chuvas torrenciais registradas na região também paralisaram o serviço de trens.

AE-AP, Agência Estado

21 de agosto de 2010 | 18h25

As águas da enchente destruíram um dique entre o rio e a parte baixa da cidade portuária chinesa de Dandong. Do lado oposto de Dandong, na Coreia do Norte, a enchente destruiu casas, prédios públicos e as lavouras de mais de cinco vilas próximas a Sinuiju, uma das áreas mais afetadas e um dos principais pontos coreanos de comércio internacional.

Na China, a enchente em Dandong é o último desastre de um período em que as maiores cheias do país em mais de uma década estão sendo registradas. Cerca de 3.900 pessoas morreram ou estão desaparecidas por causa das enchentes provocadas pelas fortes chuvas no China, incluindo cerca de 1.750 vítima do deslizamento de terra no nordeste do país, ocorrido entre 7 e 8 de agosto, de acordo com autoridades locais.

O presidente chinês Hu Jintao e outros líderes do Partido Comunista fizeram doações aos sobreviventes do desastre de Zhouqu, onde 1.407 pessoas morreram e mais de 350 estão desaparecidas, informou a agência de notícias estatal Xinhua.

Na região de fronteira com a Coreia do Norte, onde estão ocorrendo as enchentes no verão do hemisfério norte, ainda não foi possível confirmar o número de mortes, de acordo com informações de outra agência estatal de Pyongyang. Com informações da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinachuvasenchentesalagamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.