Chuvas afetaram pelo menos 25 mil na Caxemira indiana

Médicos Sem Fronteiras diz que coordena ajuda médica e material na área

Efe

11 de agosto de 2010 | 04h32

 

NOVA DÉLHI - As chuvas torrenciais e deslizamentos de terra registrados no enclave caxemiriano de Leh (norte da Índia) afetaram cerca de 25 mil pessoas e causaram grande destruição, indicou nesta quarta-feira, 11, a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF).

Em nota de imprensa, a MSF disse que está proporcionando ajuda médica e material - como lençóis, sabão, fogões, roupas e lonas - a cerca de duas mil famílias entre nas áreas mais afetadas, tanto da cidade de Leh quanto em seus arredores.

"Apesar dos desafios logísticos, conseguimos começar a distribuir artigos de ajuda àqueles que mais precisam. Esta agora é a prioridade", expressou na nota o chefe da equipe da MSF em Leh, Ashagre Adebabai.

A organização está coordenando sua ação com outras ONGs locais e com a Save the Children, e se propõe distribuir ajuda também no distrito vizinho de Kargil, onde vários vales também sofreram com as enchentes de 5 e 6 de agosto.

Os deslizamentos de barro e pedras causados pelas chuvas causaram as mortes confirmadas de 174 pessoas, entre elas cinco turistas europeus, na turística região caxemiriana que recebe turistas que gostam de montanhismo, trilhas e cultura budista.

Cerca de 200 pessoas seguem desaparecidas, de acordo com a polícia indiana, que mantém os trabalhos de resgate.

Tudo o que sabemos sobre:
ChuvasCaxemiraÍndiadesaparecidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.