Chuvas atrapalham resgates na China; mortos chegam a 12 mil

O número de mortos do piorterremoto na China em três décadas saltou para pelo menos11.921, disse uma importante autoridade de análise de desastresna terça-feira, enquanto as tempestades afetavam as equipes deresgate nas áreas devastadas. A mídia local indicou que o número de mortos do terremotode magnitude 7,9 deve crescer ainda mais. A agência de notícias Xinhua disse que 10 mil pessoas estãosoterradas somente na área de Mianzhu, no sudoeste da provínciade Sichuan. As tropas também chegaram pela primeira vez ao condado deWenchuan, o epicentro do terremoto. "O número de mortes do desastre já chegou a 11.921", disseWang Zhenyao, chefe de atendimento em desastres do Ministériode Assuntos Civis, a repórteres. "A primeira prioridade é salvar pessoas... Enquanto houverum fio de esperança, tentaremos salvá-los", disse Wang,acrescentando que a maior ameaça à vida agora são osdeslizamentos de terra. Não ficou imediatamente claro se o número divulgado porWang diz respeito somente à província de Sichuan. Centenas deoutros morreram em províncias vizinhas. Um forte terremoto posterior atingiu Chengdu, capital deSichuan, na tarde de terça --foi um dos mais de 1.950 pequenostremores que ocorreram no dia, o que preocupou os moradores. "Os funcionários de escritórios no centro comercial deChengdu foram às ruas depois do terremoto", disse a Xinhua,acrescentando que este foi o maior tremor desde o desegunda-feira. Segunda a Xinhua, uma autoridade da agência sismológicaoficial disse que tremores mais fortes ainda podem acontecer emSichuan. Os hotéis de Chengdu fizeram com que seus hóspedesficassem nos andares mais baixos. Na terça, fortes tempestades e estradas interrompidasatrapalharam a chegada às áreas mais afetadas pelo terremoto. O premiê Wen Jiabao, visitando Schuan, ordenou que astropas abrissem o caminho nas estradas que levam a Wenchuan,área montanhosa a cerca de 100km de Chengdu. Os danos causados pelo terremoto de segunda-feira deixarama área, que fica a cerca de 1600 quilômetros de Pequim,completamente interrompida. Além disso, a chuva e as nuvens pesadas sobre a provínciaconhecida pelas reservas de ursos panda significam que oshelicópteros militares enviados à área não vão poder pousar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.