Chuvas deixam 1,2 milhão de desabrigados na Índia

Depois de duas semanas de chuvas na Índia, cerca de 1,2 milhão de pessoas deixaram suas casas no estado de Bihar. O grande volume de chuvas fez o rio Kosi, na fronteira com o Nepal, inundar grandes áreas de planícies no Norte da Índia. O governo calcula que quase 700 mil pessoas estão ilhadas no país e mais de 3 milhões de pessoas em cinco distritos sofrem os efeitos da inundação. As autoridades já evacuaram 475 mil pessoas e cerca de 170 mil estão em abrigos montados pelo governo, segundo o secretário de Estado para gerenciar desastres, Prataya Amrit. As autoridades tomaram o controle de todos os barcos privados no norte da Índia, depois que moradores desesperados começaram a roubar veículos e saquear alimentos na região. "O governo está tomando controle de todos os barcos na região", disse Ravindra Prasad Singh, representante do Estado de Bihar que está coordenando o resgate de 10 mil pessoas no distrito de Supaul. Singh reconhece que a situação é crítica na região, mas afirma que agora o exército juntou-se às equipes, as operações de resgate serão realizadas mais rapidamente. As autoridades indianas informaram que os estragos causados pela enchente nas margens do Kosi, em mais de um quilômetro, não poderão ser reparados até o final do período de chuvas de monções, em novembro. As chuvas de monções, que ocorrem entre junho e setembro, provocam chuvas essenciais para a agricultura, mas que também podem causar grandes estragos. Neste ano, no entanto, as vastas planícies da região foram transformados em grandes lagos, restaram apenas telhados visíveis. O governo informa que ainda que só conseguirá avaliar as perdas depois que as águas do rio recuarem. Mas o primeiro ministro Manmohan Singh descreveu o evento como uma "calamidade nacional".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.