Chuvas deixam 7 mortos e calor mata 37 no sul do país

Tempestade Erin arrasa o Texas enquanto no Alabama usina nuclear é fechada por causa da alta temperatura

Efe, Ap e Reuters, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2018 | 00h00

Dois fenômenos extremos da natureza, separados por poucos quilômetros, atingiram o sul dos EUA deixando um grande número de vítimas. Nos últimos dez dias, uma onda de calor matou 37 pessoas no Meio-Oeste. Perto dali, a tempestade tropical Erin chegou ao sul do Texas ontem, matando sete pessoas.Na última semana, nos Estados do Tennessee, Mississipi, Kentucky e Alabama, a a temperatura variou de 38 a 40 graus. Autoridades locais disseram que o número de vítimas pode ser maior, já que o calor é a provável causa da morte de outras dez pessoas na região. A usina nuclear de Browns Ferry, no Alabama, foi fechada porque a temperatura do Rio Tennessee chegou a 32 graus. "É a primeira vez que fechamos uma usina nuclear por causa da temperatura da água do rio", disse John Moulton, porta-voz da usina. No sul do Texas, além de terem matado sete pessoas, as chuvas torrenciais causaram inundações, destruíram ruas e estradas, e isolaram várias cidades. Nos últimos dois meses, as enchentes causadas por temporais já mataram 22 pessoas na região. O pior ainda não passou. O Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA anunciou que o furacão Dean, que atravessa o Caribe, ganhou força ontem, atingindo categoria 3, com ventos de 200 quilômetros por hora. A ameaça fez a Shell retirar seus funcionários das operações no Golfo do México e suspender a produção. "O furacão pode ganhar mais intensidade nas próximas 24 horas", advertiu o boletim do NHC. Os meteorologistas estimam que o Dean chegue à costa americana em três dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.