Chuvas deixam mais de 223 mortos na China

As mais fortes chuvas que já se abateram sobre partes do oeste da China mataram mais de 223 pessoas e deixaram cerca de 320.000 desabrigados, disseram os funcionários dos serviços de emergência. Pelo menos outras 279 estão desaparecidas após as tempestades do fim de semana, que causaram inundações e avalanches de lodo em seis províncias e regiões chinesas, desde a deserta e remota região de Xinjiang até a densamente povoada província central de Hubei. No oeste do país, normalmente seco, o recorde de aguaceiros deste ano provocou grandes inundações, disseram os meteorologistas.O índice pluviométrico em partes da província de Shaanxi chegou a 489 milímetros no final de semana - o mais alto índice desde que a intensidade das chuvas começou a ser medida um século atrás, disse um funcionário de sobrenome Li, do serviço de meteorologia provincial. Ele disse que 83.000 casas foram danificadas, deixando 110.000 pessoas desabrigadas. As inundações em Shaanxi mataram 152 pessoas enquanto outras 266 estão sendo dadas como desaparecidas. Soldados do Exército foram chamados para ajudar nos resgates. Um das principais ligações ferroviárias da província foi rompida quando uma ponte ficou sob as águas, disse a imprensa estatal. Boa parte da imensa província de Sichuan, no oeste do país, também foi castigada por temporais, e as autoridades disseram estar tentando resgatar 62.000 moradores de cidades em zonas atingidas pelas enchentes, que já mataram 30 pessoas na região e deixaram 13 desaparecidas. Outras 213.000 tiveram de ser resgatadas depois que as águas destruíram 31.000 residências e danificaram pelo menos outras 66.000. Em Xinjiang, as enchentes já provocaram a morte de pessoas este mês, e o diário estatal China Daily disse que os rios continuam a transbordar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.