Chuvas deixam mais de 70 mortos nas Filipinas

Equipes de resgate enfrentam as chuvas fortíssimas e grandes quantidades de lama na tentativa de encontrar sobreviventes depois que deslizamentos de terra e enormes ondas devastaram cidades e vilarejos do Leste das Filipinas. As autoridades temem que as inundações tenham provocado a morte de cerca de 200 pessoas. O secretário de Defesa Eduardo Ermita disse que pelo menos 77 pessoas morreram e 123 outras estão desaparecidas. Autoridades locais, no entanto, confirmaram 24 mortes; as disparidades na contagem das vítimas na verdade é mais um indicativo do caos que reina nas regiões devastadas. Diversas estradas estão bloqueadas pelos deslizamentos de terra; não há energia elétrica nem telefone em várias regiões do país.?Estamos recebendo um grande número de pedidos de socorro, alguns deles dizendo que vilas inteiras desapareceram, mas em vários casos não pudemos confirmar como está a situação nos locais porque as estradas estão intransitáveis?, disse à AP Allen Olayvar, da Defesa Civil da cidade de Liloan, que fica numa das regiões mais atingidas pelas inundações. Uma equipe de resgate, em um barco a motor, conduzindo o governador da província de Leyte, teve que retornar à sua base por causa das ondas gigantescas que encontrou à sua frente. A presidente das Filipinas, Gloria Macapagal Arroyo, disse que pediu ajuda ao governo americano. Ela solicitou o envio de helicópteros para auxiliar nas buscas por sobreviventes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.