Chuvas devastam áreas da China e do Nepal

A província chinesa de Hunan, na região central do país, onde mais de 200 pessoas já morreram devido às inundações e os deslizamentos causados por fortes chuvas, decretou hoje estado de emergência. Segundo fontes do governo provincial, o Exército e a polícia foram chamados a participar dos trabalhos, principalmente em torno do Lago Dongting, onde as águas subiram a um nível considerado perigoso. Em torno do lago está localizada a cidade de Yueyang, com cerca de 600.000 habitantes, além de centenas de vilas.Em toda a China, cerca de 1.000 pessoas já morreram apenas nesta estação de chuvas. Geralmente, o governo central constrói diques e outros tipos de proteção em torno dos principais lagos e rios do país. No entanto, muitas das mortes causadas pelas águas neste ano ocorreram em regiões montanhosas e desérticas, longe das costumeiras áreas de inundações.No Nepal, cerca de 65 moradores de uma vila montanhosa morreram num deslizamento causado pelas chuvas torrenciais. A maioria dos residentes de Thapra, no distrito de Ramechap, estava dormindo quando a vila foi soterrada. Segundo Lekhnat Pokhrel, do Centro de Gerenciamento de Calamidade Natural, helicópteros lotados com material de ajuda e pessoal foram enviados para a área atingida, que fica cerca de 200 quilômetros ao leste de Katmandu. Em todo o país, mais de 500 pessoas já morreram em conseqüência das chuvas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.