Chuvas já causaram 270 mortes em julho na China

O primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, disse hoje que os esforços para o controle das inundações estão em um "estágio crucial". Outras 13 pessoas morreram hoje em um deslizamento de terras causado pelas chuvas torrenciais na cidade de Pingliang. O número de mortes provocado pela intempérie desde o dia 1º já passa de 270. Neste ano, já são mais de mil pessoas mortas ou desaparecidas, o maior número desde 1998.

AE/AP, Agência Estado

24 de julho de 2010 | 11h23

Os níveis de água nas partes mais altas do maior rio chinês, o Yang-tse-kiang, estão em seu nível mais alto desde 1987, informou a agência de notícias Xinhua. Wen ordenou aos oficiais de governo que se preparem para "mais inundações e desastres sérios", disse a agência. O premiê visitou áreas atingidas pelas enchentes na província central de Hubei, onde o aumento do nível das águas fez crescer a pressão sobre a maior hidrelétrica do mundo, a barragem de Três Gargantas.

O Ministério de Recursos Hídricos alertou que o nível de água na barragem poderá subir de novo e exceder o recorde atingido na última sexta-feira. Há previsão de mais chuvas torrenciais para amanhã. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinachuvasmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.