Chuvas matam quatorze pessoas na China

As fortes chuvas e inundações registradas em junho já deixaram 252 mortos no país

EFE

06 de julho de 2008 | 01h34

As fortes tempestades registradas em boa parte da China desde quinta-feira passada deixaram até o momento 14 pessoas mortas e cinco desaparecidas, e o número de afetadas ronda os três milhões, informou neste domingo a agência oficial de notícias "Xinhua". A província mais atingida é a de Hubei, no centro do país, onde oito pessoas morreram, duas estão desaparecidas, 26.600 foram evacuadas e o número total de afetados chega a 785.000. As intensas chuvas provocaram o desmoronamento de 874 casas e danificaram outras 2.240, enquanto 32.039 hectares de cultivo foram afetados. As autoridades provinciais calculam que as perdas econômicas causadas pelo temporal se aproximam dos US$ 36 milhões. As tempestades causaram também o atraso de vôos e cortes de estradas. A represa das Três Gargantas, que Hubei compartilha com a vizinha Chongqing, foi obrigada a abrir suas comportas para liberar água. A província sudoeste de Yunnan também foi muito castigada pelas chuvas, que deixaram seis mortos, três desaparecidos e 11 feridos, enquanto 9.800 pessoas foram evacuadas e o número total de afetadas ronda o milhão. Segundo o departamento provincial de Assuntos Civis, as chuvas que caíram na província nas últimas 48 horas, que ocasionaram o desmoronamento de mil casas, estabeleceram um novo recorde pluviométrico. As partes meteorológicas indicam que continuará chovendo em grande parte do país durante os próximos dois dias. Graças a isso, a Administração Meteorológica da China solicitou aos Governos provinciais que se mantenham em estado de alerta. As fortes chuvas e inundações registradas em junho já deixaram 252 mortos no gigante asiático.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaPequimchuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.