Chuvas 'sem precedentes' fazem 230 mil deixarem suas casas no Japão

Ordem de retirada afeta as províncias de Fukuoka, Oita, Saga e Kumamoto, na ilha meridional de Kyushu, onde as tempestades perduram, o que fez vários rios transbordarem

Efe,

14 de julho de 2012 | 05h39

TÓQUIO - As autoridades ordenaram a evacuação de 230 mil pessoas em quatro províncias do sul do Japão devido às chuvas torrenciais que caem na região há vários dias e que já deixaram 20 mortos e oito desaparecidos, informou neste sábado, 14, a agência Kyodo.

A ordem de retirada afeta as províncias de Fukuoka, Oita, Saga e Kumamoto, na ilha meridional de Kyushu, onde as tempestades perduram neste sábado, o que fez vários rios transbordarem.

A Agência Meteorológica do Japão assinalou que a intensidade destas chuvas alcançou níveis "sem precedentes" na ilha de Kyushu.

Em Fukuoka, onde se pediu a evacuação de 180 mil pessoas e em alguns pontos foram registrados 110 milímetros de precipitações em apenas uma hora na manhã deste sábado, três pessoas foram soterradas, das quais apenas duas foram resgatadas.

Enquanto isso, a Polícia prossegue as buscas por outras sete pessoas desaparecidas nas províncias de Oita e Kumamoto.

É nesta última cidade, aliás, onde as chuvas deixaram mais vítimas, já que pelo menos 18 pessoas morreram em Kumamoto após deslizamentos de terra ou desmoronamento de suas casas.

Devido às chuvas, a agência meteorológica mantém alerta máximo em sete províncias do sul do Japão (Fukuoka, Oita, Saga, Kumamoto, Nagasaki, Hiroshima e Yamaguchi), além de alerta amarelo em mais de 30 das regiões sul, centro e norte do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.