Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Chuvas sufocam incêndio em parque natural boliviano, mas fogo ameaça outra reserva

Grandes incêndios florestais foram registrados em toda a Amazônia boliviana no ano passado, devastando 6,4 milhões de hectares

AFP, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2020 | 04h57

LA PAZ - As chuvas apagaram neste domingo, 20, o incêndio florestal que afetou o parque natural Noel Kempff, na Bolívia, mas o incêndio persiste na reserva ecológica de Copaibo, no leste do país e próximo ao Brasil, segundo autoridades ambientais.

"No Parque Noel Kempff (leste), tivemos uma chuva de quatro horas e temos informações de que o fogo foi apagado", disse María Elva Pincker, Ministra do Meio Ambiente, à rede de mídia estatal. 

No entanto, as autoridades estão preocupadas com a expansão do incêndio em outra reserva natural, o parque municipal de Copaibo, que está em chamas há mais de 20 dias e onde o acesso aéreo tem sido difícil. 

As brigadas aéreas sobrevoaram a área, observando um aumento dos incêndios causados pelo efeito dos ventos. Os focos de calor na área passaram de 143 para 200. 

“Os especialistas definiram um trabalho cem por cento terrestre, com muitas máquinas. Por via aérea não seremos muito eficientes não só pelo clima, mas porque é um fogo rastejante”, explicou Luis Fernando López, ministro da Defesa. 

A autoridade explicou que, a partir de segunda-feira, equipamentos pesados serão deslocados à área para reforçar o deslocamento logístico já enviado para o combate ao incêndio. 

De acordo com o governo de Santa Cruz (leste), persistem 23 incêndios florestais na região que até agora afetaram 400 mil hectares, dos quais 17% correspondem a florestas.

Grandes incêndios florestais foram registrados em toda a Amazônia boliviana no ano passado, devastando 6,4 milhões de hectares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.