Chuvas torrenciais causam inundações e danos na Europa

Chuvas torrenciais inundaram hoje diversas cidades da Europa, afetaram o metrô de Londres e causaram danos às plantações de uva e oliva do norte da Itália. Na Áustria, 350 soldados, milhares de bombeiros e centenas de voluntários da Cruz Vermelha foram mobilizados para retirar as pessoas atingidas, principalmente nas zonas baixas do país e na região nortista de Waldviertel. Em uma área próxima ao porto russo de Novorossiisk, no Mar Negro, vários turistas foram levados pelas águas. Segundo o porta-voz do Ministério das Situações de Emergência, Viktor Beltsov, 10 pessoas foram resgatadas, sendo que duas foram internadas em estado grave. Ele acrescentou que 440 pessoas foram tiradas de suas casas e que outras 100 estão desaparecidas. Seis aldeias da região de Novorossiisk ficaram inundadas. Depois do transbordamento de um lago, oito pessoas estão desaparecidas apenas na aldeia de Abrau-Dyurso. Na mesma região, as chuvas causaram o desmoronamento de um muro de retenção de 390 metros que protegia uma via férrea, impedindo que 10 composições pudessem partir da cidade portuária. A região sul da Rússia vem sendo afetada duramente na últimas semanas pelas inundações. As chuvas de julho causaram a morte de mais de uma centena de pessoas e obrigaram a retirada de milhares de outras de suas casas. Em Londres, as águas causaram inundações em vários pontos do metrô e de entroncamentos ferroviários, obrigando o fechamento de dezenas de estações e a interrupção dos serviços antes da hora de pico da manhã. No norte da Itália, uma forte chuva de granizo castigou grande parte da região, danificando videiras e plantações de tabaco e oliva. Quase 71 cm de água caíram no início da semana em Brescia, cidade próxima de Milão, mais que a média para todo o mês de agosto. Embora o céu tenha amanhecido azul hoje, a previsão para o norte da Itália é de mais pancadas de chuva para o final de semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.