Chuveiros instalados para amenizar o calor causam polêmica em museu de Auschwitz

Visando refrescar o ambiente para os turistas, responsáveis pelo Memorial instalaram jatos de água que lembram os ‘chuveiros’ utilizados por nazistas nas câmaras de gás

O Estado de S. Paulo

02 Setembro 2015 | 16h06

VARSÓVIA - Uma medida que serviria para tornar a vida das pessoas mais confortável está causando indignação de muitos poloneses.

Segundo o jornal britânico Telegraph, para amenizar o calor na região, que tem chegado a 38 graus, e refrescar a população, os responsáveis pelo Memorial de Auschwitz resolveram instalar chuveiros a céu aberto na entrada do museu.

Contudo, muitos visitantes estão se queixando que as novas instalações são muito semelhantes aos “chuveiros” para onde os judeus eram levados antes de serem executados nas câmaras de gás.

Para alguns turistas, as duchas instaladas próximas à entrada do local onde ficava o campo de concentração de Auschwitz desperta a lembrança trágica das ações dos nazistas contra os judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

“Assim que eu desci do ônibus, fui até o chuveiro e fiquei em choque”, disse Meir Bolka ao jornal The Jeusalem Post. O visitante disse que foi até a recepção do Memorial e perguntou para uma funcionária sobre a instalação. “Ela disse que era um dia quente”, contou.

“Eu disse a ela: ‘com todo o respeito, isso me lembra as câmaras de gás’ e ela respondeu ‘me desculpe’”, afirmou Bolka.

Aproximadamente seis milhões de judeus morreram em campos de concentração no Holocausto. Um dos mais mortais foi o de Auschwitz, onde mais de um milhão de pessoas foram assassinadas.

Antes de serem enviados para as câmaras de gás, que foram construídas para parecerem salas de banho, soldados nazistas ordenavam que os prisioneiros se despissem e, às vezes, até distribuíam sabonetes e toalhas antes que o mortal gás Zkylon B fosse liberado no local.

O Memorial defendeu sua decisão em sua página do Facebook e disse que a instalação dos chuveiros tinha o objetivo de ser uma solução segura para o problema das altas temperaturas.

“A segurança e a saúde dos visitantes são nossa prioridade durante o período de calor extremo. (...) É muito difícil para nós comentar sobre algumas das referências históricas sugeridas, já que os sprinkles (jatos de água) não se parecem com chuveiros e as falsas duchas instaladas pelos alemães dentro de algumas câmaras de gás não eram usadas para dar gás para eles. O Zyklon B era usado de uma forma completamente diferente - por meio de buracos no telhado ou nas paredes”.


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.