CIA acusa Al Qaeda e aliados pelo assassinato de Benazir Bhutto

Em comunicado, diretor da agência diz que ex-primeira-ministra foi morta por combatentes de Baitullah Mehsud

Efe,

18 de janeiro de 2008 | 12h38

A CIA considera a rede terrorista Al Qaeda e os aliados do líder tribal do Paquistão Baitullah Mehsud responsáveis pelo assassinato da opositora paquistanesa Benazir Bhutto, indicou o diretor da agência, Michael Hayden, ao jornal The Washington Post. As declarações de Hayden, divulgadas nesta sexta-feira, 18, no site do jornal, representam a confirmação pública, por parte do responsável dos serviços de inteligência dos Estados Unidos, das mesmas teses que o governo paquistanês tem sobre a morte de Benazir. Hayden explica que a ex-primeira-ministra foi assassinada em 27 de dezembro por combatentes aliados de Mehsud, que contaram com o apoio da rede liderada por Osama bin Laden. "O autor foi Baitullah Mehsud. Não temos razões para questionar isso", afirmou o diretor da CIA, que não quis dar detalhes de como se chegou a essa conclusão. Segundo Hayden, Mehsud também se encontra por trás da onda de violência que ameaça atualmente a estabilidade do país. Para ele, a aliança entre os extremistas do líder tribal e a Al Qaeda representa um grave risco para o Governo do presidente Pervez Musharraf. O jornal afirma que Hayden descreveu o assassinato de Benazir como "parte de uma campanha organizada" que inclui atentados suicidas e outros ataques contra líderes paquistaneses.

Tudo o que sabemos sobre:
Benazir BhuttoAl QaedaCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.