CIA busca palestino de mil rostos, novo chefe da Al-Qaeda

Cinco meses após os atentados nos EUA, a CIA procura um palestino de mil identidades, que pode ser o mais perigoso dos líderes terroristas e o maior conhecedor da rede Al-Qaeda, de Osama bin Laden. Para o serviço de inteligência americano, o fugidio palestino, cuja última identidade conhecida era Abu Zubaydah, seria o novo chefe de operações do grupo de Bin Laden - se é que este ainda se mantém como chefe da rede. ?Células adormecidas?Zubaydah seria a única pessoa do mundo a conhecer a identidade de todos os membros da Al-Qaeda, pois teria dirigido durante anos o escritório de recrutamento da multinacional terrorista. Também era ele quem decidia a admissão de novos membros da Al-Qaeda nos campos de treinamento no Afeganistão e, atualmente, teria exclusividade na decisão de ativar "células adormecidas" da organização em dezenas de países. O homem atualmente na mira da CIA era quem atribuía tarefas e destinos aos terroristas ao final de seu período de treinamento.Habilidade de apagar rastrosNascido há 30 anos na Arábia Saudita, o palestino foi muito hábil em fazer seus rastros desaparecerem durante suas freqüentes viagens pelas zonas "quentes" do terror. Zubaydah, segundo a CIA, deve ter usado muitas identidades e uma ampla gama de passaportes falsos, evitando deixar-se fotografar, razão pela qual é o dirigente da Al-Qaeda sobre o qual os americanos dispõem de menos informação. Apesar de integrar a cúpula da Al-Qaeda, é o único que jamais foi nomeado nas diversas ordens de captura ligadas aos atentados de 11 de setembro. Nem sequer esteve incluído na lista ?dos mais procurados" divulgadas nos últimos meses pelo FBI. Neste momento, o mais perigoso"Neste momento, ele é o expoente mais perigoso da Al-Qaeda, incluindo Osama", disse um dos investigadores americanos. "Mas é inacreditável o quão pouco sabemos sobre ele". O agora procurado número um nasceu em Riad e seria um palestino anômalo: nunca foi ativo na luta de seu povo e preferiu a do fundamentalismo islâmico. Os investigadores vêem a mão de Zubaydah por trás de uma série de planos terroristas: o do ataque (frustrado) ao aeroporto de Los Angeles na passagem do Milênio, tentativas de fazer explodir as embaixadas americanas em Paris e Sarajevo, atentados contra lugares turísticos na Jordânia (onde foi condenado à morte). Braço direito de OsamaO número do telefone por satélite de Zubaydah foi encontrado na memória do celular do organizador do complô contra a embaixada dos EUA na Bósnia. Considerado o braço direito de Osama bin Laden nos dias que se seguiram a 11 de setembro, o palestino desapareceu sem deixar rastro. Sua experiência em mover-se pelo mundo esquivando-se de todos os controles o torna mais perigoso ainda. A prioridade da caça ao cérebro organizador da Al-Qaeda aumentou frente ao temor de que Zubaydah possa ativar as células terroristas do grupo nos EUA ou Europa, ordenando novas ações suicidas. Na estrutura da Al-Qaeda, o palestino teria assumido o lugar de Muhammed Atef (morto nos bombardeios no Afeganistão) como responsável pelas operações. Com isto, a responsabilidade sobre as novas ameaças terroristas da Al-Qaeda recaem sobre as costas do palestino de mil rostos.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.