CIA confirma autenticidade de nova fita de Zarqawi

A CIA confirmou nesta sexta-feira a autenticidade de uma nova fita de áudio atribuída ao líder da organização terrorista Al-Qaeda no Iraque, Abu Musab al-Zarqawi. Na fita, o líder pede aos sunitas do país que rejeitem qualquer reconciliação com os xiitas. A agência informou que análises técnicas confirmaram que se trata da voz de Zarqawi. Em um comunicado escrito, a CIA afirma que a fita foi gravada há dois meses.Na fita, que dura aproximadamente quatro horas, Zarqawi lembra "a hostilidade dos xiitas em relação ao Islã", além de lançar duras críticas ao líder da milícia xiita iraquiana Exército Mehdi, Muqtada Sadr, por ter deixado de lutar contra as tropas americanas após as rebeliões de 2004.Além disso, lança um inflamado ataque ao grupo radical xiita libanês Hezbollah, ao sustentar que "chegou a ser uma cobertura para prevenir o Exército sionista (israelense) dos ataques dos mujahedin (guerreiros santos) no Líbano"."O Hezbollah defende falsos emblemas sobre a libertação da Palestina enquanto, na realidade, constitui uma cerca de segurança que não permite aos sunitas ultrapassar os limites (com Israel)."O depoimento do líder da Al-Qaeda parece querer sabotar os esforços de unidade do novo governo iraquiano e também ultrapassa as fronteiras do Iraque, inflamando as tensões entre xiitas e sunitas em todo o mundo árabe."Sunitas, acordem, prestem atenção e se preparem para o confrontar o veneno das serpentes xiitas", afirmou Zarqawi. "Esqueçam aqueles que pregam o fim do sectarismo e pedem a unidade nacional"."Ainda existe uma guerra civil no Iraque, mas ela não se tornará verdadeiramente feroz até que seja exportada para fora do Iraque", e é exatamente o que esta fita pretende fazer, afirmou o comentarista político saudita Dawood al-Shirian.O primeiro-ministro do Iraque, Nouri al-Maliki, afirmou que Zarqawi expressou uma "brutalidade fútil, e depravada mentalmente e moralmente. "Acredito que o povo iraquiano não dará ouvidos a tais palavras miseráveis. A reconciliação é a esperança para todos os iraquianos", argumentou o premier em Bagdá. Al-Maliki organizou um governo composto por xiitas, sunitas e curdos, que os Estados Unidos esperam que possa conter a violência sectária no país. Entretanto, os vários partidos não conseguiram chegar a um acordo sobre nomeações de ministérios importantes como o do Interior e da Defesa. Os ministros serão nomeados pelo premier ainda esta semana.Insurgentes sunitas seguidores de Zarqawi realizaram alguns dos mais sangrentos atentados no Iraque, freqüentemente contra civis xiitas. Esta foi a primeira mensagem de Zarqawi desde a fita veiculada em 29 de abril deste ano. O vídeo foi o primeiro a mostrar o rosto do líder e exibia imagens de Zarqawi atirando com uma metralhadora no deserto e consultando lideres mujahedin, aparentemente para enfatizar seu controle.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.