CIA crê que três dirigentes iraquianos morreram no 1º dia da guerra

A CIA, o serviço de espionagem dos EUA, acredita que três altos dirigentes iraquianos, incluindo um primo do presidente Saddam Hussein, podem ter morrido na primeira onda de ataques contra a capital Bagdá, na noite de quarta-feira (de Brasília), informou a TV norte-americana ABC.Os dirigentes que poderiam estar mortos são Taha Yasin Ramadan e Izzat Ibrahaim al Douri, dois assessores diretos de Saddam, e Ali Hasan Majid, primo do presidente e conhecido como "Alí, o Químico" por ter comandado o uso de armas químicas contra os rebeldes curdos da região norte em 1988.A CIA baseou esta conclusão em análises dos movimentos dos dirigentes iraquianos antes e depois do primeiro ataque, disse a TV. O serviço de inteligência constatou que nenhum deles, nem Uday Saddam Hussein, o filho mais velho do líder iraquiano, apareceu nas imagens divulgadas nesta sexta-feira pela TV estatal do Iraque, que mostraram uma reunião de Saddam com seus colaboradores mais diretos. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.