Cia. das Letras publicará livro de australiano

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, decidiu escrever um livro de memórias sobre suas experiências e vendeu o direito de publicação no Brasil à Companhia das Letras, informou ontem a editora ao Estado.

, O Estado de S.Paulo

22 de dezembro de 2010 | 00h00

De acordo com o jornal britânico The Guardian, Assange também vendeu os direitos de seu livro, cujo manuscrito deve estar pronto em março, às editoras britânica Canongate e à americana Knopf.

A obra deverá descrever com mais detalhes sua vida desde a iniciativa de fundação do portal de denúncias WikiLeaks, até as acusações de abuso sexual na Suécia, a prisão na Grã-Bretanha, a pedido da Interpol, e a liberdade condicional.

The Guardian foi um dos jornais aos quais o WikiLeaks forneceu trechos de seu material secreto. O australiano, de 39 anos, causou a ira do governo dos Estados Unidos ao divulgar telegramas diplomáticos confidenciais americanos em seu site na internet e em jornais em todo o mundo para ampliar o impacto das revelações.

Ao estilo do WikiLeaks, a informação sobre a publicação do livro de memória de Assange foi inicialmente vazada em uma mensagem no Twitter da editora espanhola Random House Mondadori. O diretor da divisão literária do grupo Claudio Lopez disse que o "manuscrito estará pronto em março", informou The Guardian.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.