CIA garante não ter omitido suas dúvidas sobre o Iraque

A CIA compartilhou com outras agências ligadas ao governo americano suas dúvidas sobre a validade de relatórios sobre o Iraque anteriores à guerra - e que mais tarde provaram-se falsos - que continham acusações segundo as quais o regime de Saddam Hussein teria tentado comprar urânio de Níger, revelou uma fonte ligada ao principal serviço secreto dos Estados Unidos.De qualquer forma, a CIA passou a informação para a frente e os dados do relatório foram parar no discurso sobre o Estado da União pronunciado pelo presidente dos EUA, George W. Bush, em janeiro de 2002.Aproximadamente um mês antes do discurso, a ONU determinou que os relatórios referentes à suposta compra de urânio tinham como base documentos forjados, obtidos inicialmente por serviços secretos de países europeus.Um funcionário do governo americano disse que a informação foi checada por "agências relevantes" e foi incorporada ao discurso de Bush porque na época acreditava-se que as fontes fossem confiáveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.