CIA mantém prisão secreta em Guantánamo

A CIA, a agência de inteligência americana, instalou uma prisão secreta na base naval de Guantánamo, em Cuba, onde manteve presos - e possivelmente ainda mantém - membros "supostamente mais valiosos", da rede Al-Qaeda, informa o jornal americano The Washington Post. Essa prisão fica em edifícios utilizados pela agência, cercados por uma barreira de plástico verde, segundo o jornal, que cita fontes militares e dos serviços secretos. O conjunto de instalações foi construído no último ano e tem mais de uma dúzia de celas, com capacidade para abrigar dois presos cada uma. O centro de detenção se localiza na área conhecida como Campo Echo, onde o Departamento de Defesa mantém também presos à espera de julgamentos militares. Nem a CIA nem o Pentágono quiseram fazer comentários a respeito. Estima-se em mais de 500 os suspeitos de terrorismo e partidários do deposto regime do Taleban presos em Guantánamo. A maior parte dos prisioneiros está sob a custódia do Departamento de Defesa. No entanto, os detidos sob custódia da CIA estão submetidos a regras diferentes e num regime de maior sigilo, assinala o Post. O jornal lembra que uma ordem executiva presidencial permite que a CIA capture e retenha certos suspeitos sem ter de tornar isso público, nem revelar as normas para seu tratamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.