CIA mata líder da Al-Qaeda no Paquistão

O chefe de operações da Al-Qaeda no Paquistão e seu principal general morreram na semana passada em uma operação da CIA na zona tribal, na fronteira com o Afeganistão, informaram ontem autoridades de segurança de Paquistão e EUA. Segundo as fontes, que pediram anonimato, o queniano Usama al-Kini e seu braço direito, Sheij Ahmed Swedan, foram atingidos por um míssil, em 1º de janeiro, disparado de território afegão. Outros três militantes morreram no ataque. Os dois constavam na lista de procurados do FBI por envolvimento nos ataques às embaixadas americanas no Quênia e na Tanzânia, em 1998. Al-Kini também teria sido o responsável pelo atentado ao hotel Marriott de Islamabad, em 20 de setembro, que matou 60 pessoas, e pela tentativa de assassinato da ex-primeira-ministra do Paquistão Benazir Bhutto, em 18 de outubro de 2007. Bhutto morreu em 27 de dezembro de 2007, em um atentado que matou outras 23 pessoas.

WP, O Estadao de S.Paulo

10 de janeiro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.