CIA pode ter torturado prisioneiros no Iraque

Árabes de vários países, chocados com as fotos de prisioneiros iraquianos torturados e maltratados por soldados norte-americanos no Iraque, acusaram os EUA de terem diferentes padrões para direitos humanos. Alguns disseram que o fato vai aumentar o apoio aos extremistas islâmicos. As fotos mostram iraquianos nus, empilhados uns sobre os outros, soldados rindo deles e os humilhando. Numa outra, publicada num jornal britânico, aparece um soldado britânico urinando em um prisioneiro iraquiano. "O Escândalo" era o título de primeira página do jornal egípcio Akhbar el-Yom. "Vergonha" era a manchete de seu concorrente, Al-Wald. As fotos foram divulgadas pela TV americana CBS (clique aqui para assisitr ao vídeo) na quarta-feira à noite, mas só hoje foram divulgadas pelos diários árabes porque sexta-feira é o dia muçulmano do descanso. "Como eles podem convencer-nos que são o bastião da democracia liberdade e direitos humanos?", indagava o egípcio Mustafa Saad. Um membro do Conselho de Governo iraquiano, apontado pelos EUA Sondul Chapaouk, pediu uma investigação por parte do Ministério dos Direitos Humanos do Iraque. "Durante a era Saddam, nós rejeitávamos tais atos, e depois da libertação nós ainda os rejeitamos". Hoje, o diário The New York Times informou que a Agência Central de Informações (CIA) também investiga abusos de seus agentes contra prisioneiros no Iraque. O governo britânico anunciou que a investigação em andamento sobre os abusos de soldados será independente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.