CIA retira diretor do Paquistão após ameaças

O diretor de operações da agência de inteligência dos Estados Unidos (CIA) no Paquistão, que ajuda a supervisionar os ataques contra militantes islamitas, foi forçado a deixar o país por causas de ameaças à sua vida, disse hoje um funcionário. Ele não deu detalhes sobre a súbita partida do chefe da espionagem da agência em território paquistanês.

AE, Agência Estado

17 de dezembro de 2010 | 19h30

Mas o jornal New York Times informou que o espião foi retirado depois que seu nome - classificado como secreto - foi revelado durante um processo por um paquistanês que afirma que seu filho e seu irmão foram mortos por um ataque com aviões não-tripulados.

"Este funcionário excepcional - que já havia servido além de seu tempo de serviço - está retornando aos Estados Unidos depois que se concluiu que as ameaças terroristas contra ele no Paquistão são de natureza tão séria que seria imprudente não agir", disse o funcionário, em condição de anonimato.

O funcionário da inteligência indicou que as ameaças não afetarão a guerra da agência de espionagem contra integrantes da Al-Qaeda e do Taleban no noroeste do país, sobre a qual o governo norte-americano se recusa a discutir abertamente. "A missão da CIA no Paquistão, incluindo a implacável luta da agência contra militantes, continua imutável", disse o funcionário.

Os Estados Unidos expandiram muito os ataques com bombas realizados por aeronaves não-tripuladas desde o verão (no hemisfério Norte) de 2008. Somente neste ano foram realizados 177 ataques, segundo o grupo independente New America Foundation. A informação sobre a saída do diretor de operações da CIA ocorre no dia em que três ataques com mísseis norte-americanos no noroeste do Paquistão deixaram 54 mortos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
CIAEUAterrorismoPaquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.