Anjum Naveed/AP
Anjum Naveed/AP

CIA tem acesso vetado a viúvas de Bin Laden

Três mulheres do líder da Al-Qaeda que viviam em Abbottabad estariam sendo interrogadas por policiais do Paquistão, que promete repatriá-las

Adriana Carranca, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2011 | 00h00

ENVIADA ESPECIAL

ISLAMABAD

O Paquistão ainda mantém segredo sobre o destino das três viúvas e cerca de dez crianças que viviam com Osama bin Laden, em Abbottabad. Investigadores paquistaneses estariam interrogando as mulheres do líder da Al-Qaeda. Os EUA, porém, não estão tendo acesso às supostas revelações das viúvas.

A família do líder da Al-Qaeda foi deixada para trás pelos soldados de elite dos EUA, que invadiram o complexo no dia 2, e então levada sob custódia dos militares paquistaneses.

Segundo informações vazadas à imprensa, uma das viúvas de Bin Laden detida é Amal Ahmed Abdulfatá, nascida na Província de Ibb, no Iêmen. Ela teria informado aos investigadores paquistaneses que vivia na casa de Abbottabad desde 2006.

Sem confirmar a veracidade da informação, a porta-voz da chancelaria de Islamabad, Tahmina Janjua, disse ontem que o Paquistão ainda mantém parentes do audita sob custódia para investigação, mas pretende extraditá-los a seus respectivos países de origem.

As identidades das outras duas viúvas e das crianças não foram reveladas. A identidade dos moradores do complexo de Abbottabad é mais um mistério entre vários que ainda pairam sobre o episódio da morte de Bin Laden, no Paquistão.

O fato de o terrorista mais procurado do mundo estar vivendo há cerca de cinco anos em uma casa perto da Academia Militar de Kakul, do hospital militar e outras instalações oficiais abalou a credibilidade do governo paquistanês aos olhos de Washington. O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Tom Donilon, pediu ao Paquistão acesso a informações obtidas nos interrogatórios das viúvas do terrorista saudita.

"Se essas pessoas eram tão importantes para as investigações, por que os EUA as deixaram para trás na operação? Não é obrigação dos militares do Paquistão investigar as redes terroristas, mas de todas as agências de inteligência", disse ao Estado Rahim Dad Khan, ex-presidente do Partido Popular do Paquistão e atual subgovernador da Província Khyber Pashtunlhwa, área dominada pelos pashtun, etnia dominante entre os taleban. "Por que os EUA falharam em localizar Bin Laden? Por que deixariam evidências importantes para trás?"

As autoridades, a imprensa e a população paquistanesas ainda continuam desconfiadas tanto do próprio governo quanto dos EUA.

Souvenir

As camisetas que celebram a morte de Bin Laden são o souvenir mais vendido em Washington. O modelo mais procurado é o do terrorista com cruzes vermelhas nos olhos e o dizer "game over"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.