Ciclone de grandes proporções devasta Vanuatu, na Oceania

Segundo a ONU, 44 pessoas podem ter morrido na província de Penama, no centro do país; batizada de Pam, tempestade teve 340 km/h

Efe, O Estado de S. Paulo

14 Março 2015 | 10h03

Atualizada às 13h53.

As autoridades temem que dezenas de pessoas tenham morrido em Vanuatu após a passagem do ciclone Pam, neste sábado, 14, um dos mais fortes registrados no Pacífico Sul nos últimos anos e que causou grandes prejuízos na pequena nação insulana.

O Escritório para a Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU disse que várias informações indicam que 44 pessoas morreram na província de Penama, no centro do país, embora números oficiais ainda não tenham sido divulgados.

Até o momento se confirmou a morte de seis pessoas em Port-Vila, a capital do país, onde vivem cerca de 40 mil pessoas e, segundo as autoridades locais, 80% das casas ficaram danificadas, segundo a "Rádio New Zealand".
Organizações humanitárias informaram sobre a "completa aniquilação" de Port-Vila, onde o Pam atingiu terra com ventos de 340 km/h, mas alertaram que a destruição pode ser pior nas ilhas periféricas.

"É evidente que a força do ciclone Pam foi dramaticamente pior do que inicialmente tinha sido previsto. Com toda segurança foi uma catástrofe para o povo de Vanuatu", disse a especialista em comunicações do Unicef, Alice Clements, em um comunicado.

O balanço de vítimas e danos pode demorar alguns dias porque grande parte do território está sem comunicação e energia elétrica. A situação na capital é ainda pior, pois falta água.

"Não temos informações sobre vítimas, mas antecipamos que o número será alto nas ilhas remotas porque os refúgios lá são menos sofisticados. Não temos nenhuma informação do que se passou porque não podemos falar com as ilhas", disse o diretor da Oxfam em Vanuatu, Colin Collett Van Rooyen, à agência australiana "AAP".

Imagens de emissoras australianas mostravam vários árvores e postes de eletricidade caídos e casas danificadas nas ruas da capital, além de várias embarcações destruídas.

"Muita gente ainda está se recuperando. O prejuízo é bastante extenso em Port-Vila e há muitas ilhas mais vulneráveis. Não posso imaginar o que se passou nelas", disse a porta-voz da World Vision em Vanuatu, Chloe Morrison.

"Alguns companheiros disseram que povoados inteiros ficaram literalmente arrasados durante a noite. As casas dos aldeões e as cabanas devem ter voado como papel picado", disse.

Os serviços de emergência de Vanuatu se preparam para uma imensa operação de busca e resgate de sobreviventes. Segundo a Unicef, a tempestade de categoria 5 pode ter afetado 260 mil pessoas. 

Mais conteúdo sobre:
VANUATU CICLONE MORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.