Ciclone deixa 15 mortos na Índia e em Bangladesh

Fortes ventos e chuvas atingiram o leste da Índia e de Bangladesh hoje com a chegada do ciclone Aila. Milhares de pessoas ficaram ilhadas, em vilas inundadas. Foram registradas dez mortes na Índia e cinco em Bangladesh. O departamento meteorológico indiano informou que o ciclone produziu ventos de até 110 quilômetros por hora. Porém, começou a perder força nas últimas horas, segundo G.C. Debnath, um funcionário do serviço meteorológico local.

AE-AP, Agencia Estado

25 de maio de 2009 | 12h37

Cinco pessoas morreram em Calcutá, capital do Estado de Bengala Ocidental, na Índia. Árvores caíram, o serviço ferroviário foi interrompido e as escolas permaneceram fechadas, informou o prefeito Bikash Bhattacharya. Cinco outras pessoas morreram em distritos vizinhos, segundo o ministro-chefe estadual, Buddhadeb Bhattacharjee.

Muitas barragens se romperam e a água invadiu a Reserva de Tigres de Sundarbans. Na área vivem milhares de pessoas e uma das maiores populações de tigres selvagens do mundo. A estimativa é de que vivam 250 tigres no lado indiano da reserva e 250 na área de Bangladesh. Profissionais que monitoram a área indicaram que ainda é cedo para avaliar os danos aos animais.

A agência de notícias United News of Bangladesh informou sobre cinco mortes no país e 15 mil pessoas presas pelas águas em oito vilas. O Departamento Meteorológico da Índia alertou as pessoas que vivem em áreas afetadas para não saírem de casa.

Tudo o que sabemos sobre:
ÍndiaBangladeshciclone

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.