Ciclone deixa 3.100 mortos e 2.062 desaparecidos em Bangladesh

Última apuração fala em 4.083.568 desabrigados e 6.611 feridos; números ainda devem aumentar

Efe e Associated Press,

20 de novembro de 2007 | 04h23

O número oficial de afetados pelo ciclone Sidr, que assolou Bangladesh na semana passada, superou nesta terça-feira, 20, os 4 milhões de pessoas, com 2.062 desaparecidos e mais de 3.100 mortos. Uma fonte oficial reconheceu que o número ainda deverá aumentar. "Ainda estamos sem contato com áreas como Dublarchar e Sundarbans, onde não há redes de comunicações. Portanto, é certo que esse número aumentará", declarou à Efe um funcionário do Centro de Controle do Ministério de Gestão de Desastres. A última apuração oficial fala de 4.083.568 desabrigados, 3.113 mortos, 2.062 desaparecidos e 6.611 feridos. Além disso, 926 mil imóveis foram parcial ou totalmente destruídas. Segundo o funcionário, as autoridades esperam oferecer um balanço definitivo no fim desta semana. Elas ainda tentam estabelecer contato com as áreas mais afastadas, entre elas várias faixas de areia junto à costa. A maior preocupação das equipes de ajuda é garantir o acesso à água potável, para evitar a propagação de epidemias. Além disso, os desabrigados precisam urgentemente de alimento. O ciclone arrasou quase 350 mil hectares de plantações, após provocar uma enchente, com o mar penetrando 35 quilômetros no território do país e destruindo grande parte das áreas litorâneas. Entre as regiões mais afetadas está o delta de Sundarbans. A área, de grande valor natural, acolhe entre outras espécies os tigres de Bengala, e sofreu a destruição de 25% do território protegido. Com ventos de 233 km/h, o ciclone foi qualificado pelos meteorologistas como o mais poderoso em um século.

Tudo o que sabemos sobre:
BangladeshcicloneSidr

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.