Ciclone mata 13 em ilha do Iêmen e chega ao continente

Entre as vítimas estão 3 crianças

O Estado de S. Paulo

10 de novembro de 2015 | 19h22

Ventos e chuvas do segundo ciclone raro a atingir o Iêmen em duas semanas já mataram 13 pessoas, incluindo três crianças, na Ilha de Socotra, afirmou o Ministério da Pesca nesta terça-feira.

O ciclone Megh atingiu Socotra no domingo, trazendo ventos com força de furacão de categoria quatro. O fenômeno chegou à costa sul do continente perto da cidade portuária de Áden nesta terça-feira.

O ministro da Pesca, Fahd Kafayen, disse que três pescadores também estavam desaparecidos na ilha, de acordo com sua página no Facebook.

A tempestade feriu cerca de 60 pessoas e danificou casas, a principal usina de energia e um hospital em Socotra, afirmou o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, na sigla em inglês).

A falta de experiência com ciclones significa que o Iêmen, que tem sido devastado pela guerra, é mal-equipado para lidar com inundações e ventos fortes.

A mais recente tempestade enfraqueceu significativamente depois de tocar terra numa área montanhosa do Iêmen nesta terça-feira, cerca de 70 quilômetros a leste do porto de Áden, disse um porta-voz da Organização Meteorológica Mundial (OMM).

A organização com sede em Genebra, na Suíça, disse que uma terceira tempestade poderia estar se formando no mar Arábico, mas a porta-voz, Clare Nullis, afirmou que esses ventos devem perder força. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
IÊMENCICLONESOCOTRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.