Ciclone mata 35 e retira milhares de suas casas no Paquistão

Operação de busca com cerca de 200 pescadores foi iniciada pela Marinha

Agencia Estado

27 Junho 2007 | 14h41

O ciclone Yemyin causou a morte de 35 pessoas e provocou o abandono de milhares de casas, durante a terça-feira, 26, nas áreas litorâneas das províncias de Sindh e Baluchistão, no sul do Paquistão, informaram fontes oficiais nesta quarta-feira, 27. Em Karachi, a capital de Sindh, as fortes chuvas causaram a morte de 18 pessoas. No Baluchistão, outras 17 pessoas morreram, entre elas quatro crianças. A maioria foi arrastada pelos rios que transbordaram, informou um porta-voz da Comissão Nacional de Gestão de Crise. Uma operação de busca e resgate de 20 barcos com cerca de 200 pescadores a bordo foi iniciada pela Marinha do Paquistão. Além disso, as chuvas torrenciais provocaram danos materiais em vários distritos, onde os águas derrubaram pontes e partes da principal estrada da região. As equipes de resgate enfrentam problemas de comunicação com algumas das áreas afetadas, ainda sob fortes chuvas, segundo o porta-voz da Comissão de Crise. Segundo fontes do Departamento de Meteorologia o pior parece ter passado. O ciclone perde força rapidamente e se movimenta em direção noroeste.

Mais conteúdo sobre:
Paquistão ciclone

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.