Ciclone matou mais de 34 mil, diz governo de Mianmar

ONU calcula entre 63 mil e 102 mil os mortos, mais de 220 mil desaparecidos e 2 milhões de desabrigados

Efe,

14 de maio de 2008 | 03h59

A passagem do ciclone Nargis por Mianmar (antiga Birmânia) deixou até agora 34.273 mortos, 27.836 desaparecidos e 1.403 feridos, segundo os últimos dados divulgados pela Junta Militar. Os novos números da catástrofe em Mianmar foram divulgados nesta quarta-feira, 14, pelo diário oficial New Light of Myanmar, que o regime usa para divulgar suas mensagens. No entanto, a ONU calcula entre 63 mil e 102 mil o número de mortos, além de mais de 220 mil desaparecidos e cerca de 2 milhões de desabrigados. A organização de luta contra a pobreza Oxfam International advertiu que o número de mortos pode ser 15 vezes maior nas próximas semanas, caso os desabrigados não recebam água potável e medicamentos. O Governo birmanês admitiu na terça-feira, 13, que vastas áreas atingidas pelo ciclone continuam isoladas e sem poder contar com a ajuda internacional. A Junta Militar aceita a chegada de ajuda do exterior, mas não quer a presença de voluntários estrangeiros, e insiste em que sejam seus próprios funcionários os encarregados de distribuir o material de emergência.

Tudo o que sabemos sobre:
Mianmarciclone Nargis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.