Ciclone pós-tropical Sandy está na Pensilvânia

O ciclone pós-tropical Sandy, que causou caos e destruição na cidade de Nova York nas últimas 12 horas, está seguindo para o interior dos EUA. O fenômeno está no Estado da Pensilvânia, a 145 quilômetros da cidade de Filadélfia, e move-se a 24 km/h causando ventos de 105 km/h, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês). No fim do dia, Sandy deve virar para o norte e voltar a atingir o Estado de Nova York e então seguir para o Canadá, onde chega na quarta-feira.

AE, Agência Estado

30 de outubro de 2012 | 09h13

A super tempestade causada pela junção de Sandy com outros sistemas climáticos afetou milhões de moradores da Costa Leste dos EUA. A cidade de Nova York foi uma das mais afetadas, com seu centro financeiro sendo fechado pelo segundo dia seguido e água do mar alcançando o local onde ficava o World Trade Center.

Antes mesmo de atingir terra firme, Sandy já não tinha mais o status de furacão, mas a distinção era puramente técnica, baseada em seu formato e temperatura interna porque a tormenta ainda gera ventos típicos de furacão.

Efeitos da super tempestade chegaram até o Meio-Oeste dos EUA. Em Chicago autoridades alertaram os habitantes para que permaneçam longe do Lago Michigan. Espera-se ventos de 96 km/h e ondas de 7 metros até a quarta-feira.

Apesar de ir enfraquecendo aos poucos, o fenômeno natural, que causou alertas de ventos da Flórida até o Canadá, vai continuar a causar fortes chuvas e inundações, afirmou Daniel Brown, coordenador do NHC. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAfuracãosandy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.