Cidadã australiana é presa por ataques contra líderes do Timor

Segundo investigações, Angelita Pires foi advogada do militar renegado Alfredo Reinado, morto no atentado

Efe,

18 de fevereiro de 2008 | 03h31

Uma australiana de origem timorense foi detida por supostamente estar relacionada aos ataques contra o presidente do Timor Leste, José Ramos Horta, e o primeiro-ministro, Xanana Gusmão, anunciou nesta segunda-feira, 18, o procurador-geral, Longuinhos Monteiro. Monteiro detalhou que se trata de Angelita Pires, nascida no Timor-Leste, e que tem cidadania australiana. Ela já foi advogada do militar renegado Alfredo Reinado, falecido no ataque que deixou ferido o presidente. Pires, de 42 anos, foi detida no domingo, 17, e está sendo interrogada pelos investigadores. Eles acreditam que ela esteve junto com Reinado, e poderia prestar depoimento esta mesma tarde ao procurador-geral. Ela não estava entre os 17 suspeitos sobre os quais há ordens de busca e detenção desde a semana passada. Monteiro a envolveu na trama porque "como poucos, teve uma vinculação muito estreita com Reinado".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.