Cidadãos do Djibuti fazem protesto por renúncia de líder

Milhares de cidadãos do Djibuti se reuniram hoje para exigir a renúncia do presidente Ismail Omar Guelleh, que está em seu segundo mandato e vai concorrer a mais um em abril. Opositores reclamam que as mudanças que ele fez na Constituição, no ano passado, retiraram do texto o limite de dois mandatos para o governante do país. A família de Guelleh está no poder há mais de três décadas.

AE, Agência Estado

18 de fevereiro de 2011 | 17h29

O Djibuti é uma cidade-Estado de 750 mil habitantes, localizada no Golfo de Áden, que abriga várias bases militares, dentre elas a única base norte-americana na África. Guelleh, cuja reeleição parece certa, não teve qualquer oponente no pleito de 2005. Um potencial opositor para a eleição deste ano, Abdourahman Boreh, tem apoiado uma série de manifestações contra Guelleh, mas reside no exterior e atualmente está em Londres.

Boreh, de 51 anos, disse que se retornar ao Djibuti será jogado na cadeia e provavelmente torturado. Ele disse que a manifestação de hoje contou com a participação de milhares de pessoas. A polícia usou gás lacrimogêneo e balas de borracha contra participantes de outra manifestação, no início de fevereiro. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Djibutiprotestorenúnciapresidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.