Cidade da Nigéria tem toque de recolher de 24h

Militares na Nigéria declararam toque de recolher de 24 horas neste sábado em bairros de Maiduguri, lar espiritual de uma rede extremista islâmica, enquanto soldados continuam com a campanha de emergência do governo na região, com autoridades dizendo que eles mataram dez supostos insurgentes.

Agência Estado

18 de maio de 2013 | 15h13

Um comunicado divulgado hoje, em nome do tenente-coronel Sagir Musa, nomeia 11 áreas de Maiduguri onde as pessoas devem permanecer dentro de suas casas até novas notificações. Musa disse que isso era parte de uma ofensiva militar desde que o presidente Goodluck Jonathan emitiu um decreto de emergência, na terça-feira, permitindo com que soldados realizassem prisões à vontade e tomassem o controle de construções suspeitas como lar de extremistas nos Estados de Adamawa, Borno e Yobe.

Os soldados prenderam cerca de 65 supostos extremistas que estavam "tentando se infiltrar em Maiduguri" após ataques militares em acampamentos em uma reserva florestal próxima, disse, em comunicado, o porta-voz dos militares, general Chris Olukolade. Ele afirmou que os soldados mataram dez supostos extremistas no bairro de Gamboru, em Maiduguri, uma das áreas sob toque de recolher.

Não há confirmação independente das prisões nem das mortes. Um jornalista da Associated Press em Maiduguri viu barreiras feitas pelos soldados na cidade, bem como caminhões enfileirados nos arredores da cidade, aparentemente bloqueando as entradas em Maiduguri. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Nigériatoque de recolherextremistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.