REUTERS/Fawzy Abdel Hamied
REUTERS/Fawzy Abdel Hamied

Cidade egípcia tenta voltar à normalidade após atentado a cristãos

Ataques à Catedral de São Jorge, em Tanta, deixaram 27 mortos e 78 feridos; missa de segunda-feira foi marcada pela presença de agentes de segurança

O Estado de S.Paulo

10 Abril 2017 | 08h17

TANTA, EGITO - A cidade de Tanta, no Egito, busca voltar à normalidade nesta segunda-feira, 10, após o atentado ocorrido na véspera contra a catedral de São Jorge, que deixou 27 mortos e 78 feridos.

Rimon, um cristão copto de 39 anos que tem uma loja de brinquedos em frente ao templo, reabriu seu negócio nesta manhã. "Graças a Deus está tudo tranquilo. Não temos medo e tentamos viver com normalidade ", disse ele.

Contudo, ele não nega o "dia sangrento e terrível" que viveram os cristãos egípcios, o "deixou uma marca psicológica" que será difícil de apagar.

Dois atentados ocorridos contra a Catedral de São Jorge e a de São Marcos, em Alexandria, deixaram 44 mortos e centenas de feridos entre os fiéis que celebravam o Domingo de Ramos, que marca o início da Semana Santa para os cristãos.

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) assumiu a autoria dos ataques e garantiu que eles foram perpetrados por dois suicidas.

O presidente egípcio, Abdel-Fattah Al-Sissi, anunciou estado de emergência em todo o país e ordenou o envio de unidades especiais do Exército em torno das "instalações vitais" em todas as províncias.

Além disso, igrejas de Tanta receberam nesta manhã dezenas de fiéis cristãos para a missa da Segunda-feira Santa, em meio de uma notável presença de agentes de segurança, embora menos intensa que no domingo, logo após os ataques. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.