Guglielmo Mangiapane/REUTERS
Guglielmo Mangiapane/REUTERS

Cidade italiana bate recorde de calor na Europa ao registrar 48,8 ºC

Siracusa, no sudeste da Sicília, foi atingida pelo anticiclone Lúcifer

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2021 | 18h37

SIRACUSA, Itália - As autoridades regionais de Sicília, na Itália, registraram um calor de 48,8 ºC na cidade de Siracusa nesta quarta-feira, 12, um recorde para o país e para a Europa. O número ainda deve ser confirmado pelo serviço italiano de meteorologia.

A temperatura supera o recorde anterior de 48,5 ºC, registrado em 1999, também na Sicília. O calor foi provocado pelo anticiclone Lúcifer, procedente da África, que desencadeou incêndios.

Em Calábria e Sicília, os bombeiros realizaram 300 intervenções nas últimas 12 horas.Um homem de 77 anos morreu em Calábria, perto de Regio, como consequência das queimaduras que sofreu ao tentar salvar seu rebanho.

Em Calábria, as chamas ameaçam o parque geológico de Aspromonte, reconhecido pela Unesco, um conjunto de montanhas, cordilheiras e planaltos de quase 2 mil metros de altura que se alternam com profundos vales que se elevam sobre um fragmento peninsular da cordilheira dos Apeninos, oferecendo um panorama espetacular do Estreito de Messina, Etna e as Ilhas Eólias.

Durante vários dias, as chamas alimentadas pelo vento e o calor assolaram La Madonia, uma região montanhosa próxima a Palermo, a capital siciliana, e destruíram cultivos, casas e prédios industriais.

O governador de Sicília, Nello Musumeci, pediu que se declare estado de emergência nacional em La Madonia. 

Nos próximos dias, espera-se que o anticiclone responsável pela onda de calor se mova para o norte, onde as temperaturas devem alcançar os 39-40 graus em Toscana, no centro do país, durante o fim de semana de 15 de agosto. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.