Cidade italiana incentiva natalidade com prêmio em dinheiro

Preocupada com a taxa de natalidade cada vez menor na cidade, a prefeitura de Laviano, nos Montes Apeninos, ao sul de Nápoles, na Itália, decidiu criar o ?bônus bebê?: um cheque de valor equivalente a US$ 11,9 mil para ser doado aos pais de cada recém-nascido. A população de Laviano vem diminuindo por causa do acesso difícil e da falta de empregos, que afastam os jovens do local. No ano passado, foram registrados apenas dois nascimentos na cidade de 1,6 mil habitantes ? em 1970, foram 70 bebês e 3 mil pessoas moravam na cidade. O ?bônus bebê? foi uma iniciativa do prefeito Rocco Falivena. ?É muito dinheiro, mas é nossa principal prioridade?, admitiu. ?Estamos falando sobre a sobrevivência da cidade.?O caso de Laviano não é isolado. Muitas cidades no sul da Itália estão se esvaziando: entre 1991 e 2001, a região perdeu mais de meio milhão de pessoas. O norte, mais próspero, recebeu cerca de 460 mil, de acordo com o órgão demográfico da Itália, o IRPPS.Natalidade segue em baixaA maioria das italianas diz que deseja ter pelo menos dois filhos, mas, em média, tem apenas um, segundo o relatório Demotrends, realizado em agosto. A média italiana está abaixo das taxas de natalidade da França, Grã-Bretanha e Estados Unidos, que variam de 1,7 a 1,9 criança por casal.A ajuda às famílias é mínima, as creches são caras e as chances de conciliar trabalho e filhos são poucas. O resultado do relatório mostrou ainda que a Itália tem a população mais velha do mundo. O orçamento de 2004 incluiu um bônus equivalente a US$ 1,2 mil aos pais no nascimento do segundo filho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.