Cidade mexicana investigará toda sua polícia por corrupção

Em uma decisão inédita, toda a polícia da cidade mexicana de Tijuana, na fronteira com os Estados Unidos, será investigada por suspeitas de envolvimento com o tráfico de drogas e o crime organizado. Segundo as autoridades, a medida drástica é a única maneira de "limpar" a corporação. O último bastião mexicano antes dos Estados Unidos é também um ponto de passagem de drogas para a terra do Tio Sam, e acredita-se que policiais corruptos possam estar ajudando chefes dos cartéis do tráfico a revender suas mercadorias para o vizinho do norte.O prefeito de Tijuana, Jorge Hank Rhon, disse que todos os 2,3 mil policiais de Tijuana - desde o soldado que patrulha as ruas até o superintendente estadual - estarão sujeitos a esta extraordinária investigação.Pressão econômicaA medida é atribuída à pressão das empresas instaladas em Tijuana, que iniciaram uma campanha contra a influência das gangues na cidade.Os empresários ameaçaram mudar seus negócios para outro lugar se nada fosse feito - um fato potencialmente devastador em um município cuja população já supera o milhão de pessoas.Dezenas de moradores morreram neste ano em violentos conflitos de gangue em Tijuana. Esforços policiais para combater a influência dos grupos de criminosos existem. Em agosto, o homem tido como o cabeça do cartel de Tijuana, Francisco Javier Arellano Felix, foi preso com a ajuda de autoridades americanas no Estado da Baja Califórnia, costa oeste mexicana.Mesmo assim, o prefeito Rhon diz acreditar que a maioria dos policiais na cidade está, de alguma maneira, envolvida com o tráfico de drogas ou o crime organizado.A pedido do prefeito, o Ministério da Segurança Pública do México resolveu instalar a ampla investigação. Mas um porta-voz do ministério disse que os detalhes da diligência só serão divulgados em duas semanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.