AFP
AFP

Cidade síria é alvo de tiroteio durante visita de monitores

Vídeos amadores, supostamente feitos em Erbin, na província de Damasco, mostram dois carros da ONU cercados por manifestantes

Reuters,

18 de abril de 2012 | 13h47

BEIRUTE - Tiroteios foram registrados nesta quarta-feira, 18, em Erbin, na Síria, durante visita dos monitores das Nações Unidas, segundo a mídia estatal síria e ativistas da oposição. Imagens de vídeos amadores, supostamente feitos em Erbin, na província de Damasco, mostram dois carros brancos com sinais da ONU cercados por manifestantes anti-Assad. Nos filmes, ouve-se um grande estrondo, os manifestantes fogem e a câmera move-se para mostrar a poeira subindo na frente do carro antes de o som das sirenes ser acionado e os veículos brancos acelerarem.

 

Veja também:

linkAssad mantém observadores da ONU em gabinetes enquanto ataca rebeldes

linkRússia diz que forças externas afetam pacificação síria

 

O canal de televisão Ikhbariya disse que um "grupo terrorista" também tinha plantado uma bomba em um posto de controle, ferindo um membro das forças de segurança sírias. Outro vídeo da Internet, que segundo ativistas foi filmado em Erbin, mostrou uma multidão de pessoas correndo por uma rua com o som de armas de fogo automáticas no fundo.

 

Há até agora apenas seis observadores da ONU na Síria, liderados pelo coronel marroquino Ahmet Himmiche. Na terça-feira eles fizeram uma viagem à a cidade de Deraa, no sul, aparentemente sem incidentes.

 

Na quarta-feira, foram para Erbin, nos arredores de Damasco, escoltados por carros da polícia síria, e foram atacados por manifestantes que acenavam bandeiras e protestavam contra o presidente Bashar al-Assad. A faixa dizia: "O açougueiro continua matando, os observadores continuam observando, e as pessoas continuam com a sua revolução. Nós nos curvamos apenas a Deus".

 

Himmiche atravessou a multidão vestindo uma boina azul da ONU e colete à prova de balas e entrou em seu veículo, onde falou em um alto-falante, aparentemente pedindo para a multidão se afastar e deixar os carros saírem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.