Cientista confessa transferência de tecnologia nuclear

O fundador do programa nuclear do Paquistão, Abdul Qadeer Khan, admitiu ter transferido tecnologia nuclear para o Irã, Líbia e Coréia do Norte, informou um funcionário do governo paquistanês. Khan fez a confissão por escrito "poucos dias atrás" a investigadores que examinam denúncias de proliferação nuclear por parte do Paquistão, disse o funcionário, exigindo anonimato, à Associated Press.As transferências foram feitas durante o final da década de 80 e no início e meados da de 90, e foram motivadas por "ganância pessoal e ambição", acrescentou. A transferência não foi autorizada pelo governo, garantiu. A confissão foi apresentada numa reunião da Autoridade de Comando Nacional, que controla as instalações nucleares do Paquistão, no sábado, quando Khan - considerado um herói nacional - foi afastado de sua posição de assessor científico do primeiro-ministro.Khan teria admitido ter vendido "desenhos e maquinário" desatualizados aos três países para levantar dinheiro para o Paquistão. Ele assumiu que as vendas para a Líbia e o Irã visavam a ajudar outros países islâmicos a se tornarem potências nucleares. Depois de dois meses de investigação sobre as alegações, o presidente general Pervez Musharraf estaria pronto para fazer um pronunciamento à nação na quinta-feira, após o feriado muçulmano de Eid al-Adha, o Banquete do Sacrifício, disseram oficiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.