Cientista nuclear paquistanês vai à TV se desculpar

Numa confissão feita em pronunciamento nacional pela televisão, o fundador do programa paquistanês de armas atômicas desculpou-se e disse que ele próprio - não o governo - passou segredos para outros países. O discurso em que Abdul Qadir Khan implora pelo perdão dos paquistaneses vem depois de o governo ter dado a entender que uma desculpa poderia ajudá-lo a escapar do processo legal por ter transferido tecnologia bélica nuclear para a Líbia, o Irã e a Coréia do Norte.O gabinete de governo do Paquistão deve se reunir nesta quinta-feira para recomendar - ou não - o julgamento de Khan. ?Optei por aparecer diante de vocês para oferecer meu mais profundo arrependimento e minhas desculpas incondicionais a uma nação traumatizada?, disse Khan, horas depois de uma reunião com o presidente Pervez Musharraf, na qual apresentou um pedido de clemência. ?Assumo total responsabilidade por minhas ações e busco seu perdão?.A desculpa pública surge em meio à suspeita generalizada de que o contrabando de tecnologia nuclear feito por Khan contava com a complacência, ou mesmo com a colaboração, do governo. Embora o julgamento público do cientista possa satisfazer a opinião pública internacional, um processo legal poderá trazer à tona revelações embaraçosas sobre outras autoridades e expor Musharraf à ira dos paquistaneses que consideram Khan um herói nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.