Cientistas encontram buracos negros gigantes

Cientistas descobriram os maiores buracos negros conhecidos até agora - cada um dos dois têm 10 bilhões de vezes o tamanho do Sol. Uma equipe liderada por astrônomos da Universidade da Califórnia, em Berkeley, descobriu os dois buracos negros gigantescos, agrupados em um bolsão de galáxias elípticas que ficam a mais de 300 milhões de anos-luz da Terra. Isso é uma distância relativamente próxima para as escalas das galáxias.

AE, Agência Estado

05 de dezembro de 2011 | 20h56

"Eles são monstruosos", disse o astrofísico Chung-Pei Ma, de Berkeley. "Nós não esperávamos encontrar esses buracos negros tão grandes porque eles têm uma massa maior que a indicada pelas propriedades das suas galáxias", disse o cientista.

Em pesquisa publicada nesta segunda-feira no jornal Nature, os cientistas sugerem que esses buracos negros podem ser restos de quasares que se amontoaram no começo do Universo. Os quasares são objetos celestes muito remotos, relativamente parecidos a estrelas. Segundo os cientistas, os buracos negros descobertos são semelhantes em massa a quasares jovens, e estavam bem escondidos até agora.

Buracos negros são objetos celestes tão densos que nada, nem mesmo a luz, pode escapar. Eles são formados pelo colapso de uma estrela gigante. Não está claro como os dois buracos negros gigantes recém-descobertos foram formados, disse Nicholas McConnell, estudante de graduação de Berkeley que é um dos autores do estudo. Para terem massa tão densa, eles precisariam ter crescido muito desde a formação, disse McConnell.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.