Cientistas paquistaneses investigam se tremor fez surgir nova ilha

Testemunhas relataram a aparição de uma nova ilhota em Gwadar; terremoto deixou 39 mortos

AE, Agência Estado

24 Setembro 2013 | 16h48

ISLAMABAD - Cientistas do Paquistão investigam se o forte terremoto que atingiu o extremo oeste do país nesta terça-feira, 24, provocando a morte de pelo menos 39 pessoas, teria feito surgir uma nova ilha no litoral paquistanês.

O diretor-geral do Departamento de Meteorologia do Paquistão, Arif Mahmood, disse que testemunhas reportaram a aparição de uma nova ilhota nas proximidades do porto de Gwadar. O tremor de magnitude 7,8 ocorreu 233 quilômetros a sudeste de Dalbandin, na província paquistanesa do Baluchistão.

Mahmood comentou que um terremoto forte como o desta terça-feira pode realmente fazer com que porções do leito submarino se elevem, mas ainda é preciso investigar para confirmar a informação.

O comandante da polícia de Gwadar, Pervez Umrani, relatou que da praia é possível observar uma nova massa de terra que se eleva a nove metros do nível do mar e tem cerca de cem metros de extensão.

Desabamentos. A maior parte das vítimas do tremor morreu em desabamentos de imóveis, disse Mirza Kamran Zia, porta-voz da defesa civil paquistanesa.

O abalo sísmico ocorreu na província do Baluquistão, a maior e a menos populosa do país./ AP

View Larger Map

Mais conteúdo sobre:
Paquistãoterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.