Cientistas são alvos comuns

O ataque que matou o cientista Mostafa Ahmadi Roshan ocorreu exatamente um ano e um dia após uma operação nos mesmos moldes matar Masoud Ali Mohammadi, professor da Universidade de Teerã também envolvido no programa nuclear do Irã. Como a de Roshan, a bomba que matou Mohammadi foi colocada no carro por homens em uma moto. Em novembro de 2010, ataques simultâneos em dois locais diferentes de Teerã mataram Majid Shahriari, integrante da Agência de Energia Atômica do Irã, e feriram o professor Fereidoun Abbasi. Recuperado, Abbasi foi nomeado novo número 1 da agência nuclear iraniana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.