"Cimaron" reforça pior incêndio de Hong Kong em 10 anos

Cerca de 65 mil árvores e 400 hectares de floresta foram carbonizados no maior incêndio em Hong Kong em uma década, depois de os fortes ventos do tufão "Cimaron" avivarem as chamas, informou nesta sexta-feira o jornal "South China Morning Post". O incêndio, que começou na quarta-feira, se estendeu por toda a colina do Parque Tai Lam, um dos locais mais pitorescos da cidade, apesar dos esforços de 100 bombeiros e 100 trabalhadores dos serviços civis. "O fogo se estende por toda a colina. O vento está mudando de direção continuamente e ajuda a espalhar o incêndio", explicou um voluntário dos serviços de emergência. As causas do fogo ainda são desconhecidas. Segundo as equipes contra incêndios, o tufão vai continuar dificultando as tarefas, devido à força do vento e à baixa umidade. As autoridades florestais estimam que serão necessários pelo menos 10 anos para recuperar o parque, onde será preciso plantar de 100 a 200 mil novas árvores. O "Cimaron" ("búfalo selvagem") se deslocou nas últimas horas rumo ao sul da China. Na sua passagem pelas Filipinas, deixou 19 mortos e 15 desaparecidos.

Agencia Estado,

03 Novembro 2006 | 00h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.