Cinco colombianos seqüestrados escapam da guerrilha

Após três meses de cativeiro, um ex-deputado e quatro vereadores colombianos conseguiram escapar, aproveitando-se de um descuido dos guerrilheiros que os vigiavam. O ex-deputado Wilson Rincón e quatro vereadores do município de Curumaní, cerca de 520 km ao norte de Bogotá, escaparam das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que os mantinham como reféns em uma região montanhosa. Após caminharem durante dez horas, os políticos conseguiram chegar até uma base militar e dali foram transferidos, na segunda-feira, para a cidade de Valledupar, no norte do país. Em uma entrevista ao canal de telenotícias Caracol, um dos vereadores, que não foi identificado, disse que ele e seus companheiros ganharam a "confiança dos guerrilheiros, e planejamos escapar porque não víamos solução para esta retenção". Os cinco políticos, que estavam retidos na zona da Serra de Perijá, uma área fronteiriça com a Venezuela, aproveitaram o cansaço de um rebelde e a chuva para escapar no domingo, cruzando a serra ao longo de um perigoso despenhadeiro. As Farc mantêm seqüestrados cerca de 20 políticos e funcionários do governo, além de oficiais e suboficiais da polícia e do Exército, que pretendem trocar por guerrilheiros presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.