Daniel Leal-Olivas / AFP
Daniel Leal-Olivas / AFP

Cinco homens são detidos em Londres por queimar réplica de prédio que pegou fogo em 2017

Transmissão de vídeo na internet em que grupo ri enquanto ateia fogo na representação da Torre Grenfell provocou indignação

O Estado de S.Paulo

06 Novembro 2018 | 09h46

LONDRES - Cinco homens foram presos por queimar uma réplica da Torre Grenfell em Londres, um conjunto habitacional cujo incêndio em junho de 2017 matou 72 pessoas, a maioria imigrantes, informou a polícia nesta terça-feira, 6.

Todos eles, com idades entre 19 e 55 anos, se entregaram voluntariamente a uma delegacia na noite de segunda-feira e foram presos por perturbar a ordem pública, afirmou a polícia de Londres em um comunicado.

A transmissão na internet de um vídeo da fogueira, ato organizado em função de uma celebração tradicional que todo 5 de novembro lembra o fracasso de uma conspiração em 1605 para matar o rei James I e explodir o Parlamento, provocou indignação na população.

No vídeo, é possível ver um grupo rindo enquanto ateia fogo a uma réplica do prédio com a inscrição "Grenfell Tower" e personagens de papel representados nas janelas. Também é possível ouvir alguém gritando "Socorro", "Se joga pela janela!" e "É isso que acontece quando não pagam o aluguel".

Moyra Samuels, da associação Justice for Grenfell, qualificou o ato como "um ataque intolerável a pessoas vulneráveis", e se disse alarmada com o "aumento preocupante do racismo" no país.

"A falta de respeito por aqueles que perderam suas vidas na Torre Grenfell, e suas famílias e amigos, é totalmente inaceitável", tuitou a primeira-ministra britânica Theresa May. O incêndio foi "uma das piores tragédias que nossa cidade sofreu", disse o prefeito de Londres, Sadiq Khan. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.