Cinco homens são presos por planejar seqüestro de britânico

Cinco muçulmanos foram detidos no Reino Unido por acusações de vários delitos por terrorismo e de uma tentativa de seqüestrar um membro das Forças Armadas Britânicas, disse nesta sexta-feira disse a Procuradoria do Estado do país.Outros muçulmanos que vivem no Reino Unido, entretanto, dizem estar incomodados com a constante pressão da polícia mesmo sobre os inocentes.Segundo declarações de fontes dos serviços de segurança à imprensa britânica, o plano dos acusados era seqüestrar, torturar e matar um soldado britânico que prestava serviços no Afeganistão.Um dos detidos, Parviz Khan, de 36 anos, é acusado concretamente de planejar o seqüestro e assassinato de um soldado britânico, entre 1 de novembro de 2006 a 31 de janeiro de 2007, quando foi preso.Além disso, ele também é acusado de fornecer equipamento para terroristas e de fazer parte de um plano que arrecadaria fundos para o mesmo objetivo. Os outros quatro acusados são Mohammed Irfan, de 30 anos, ZahoorIqbal, de 29, Hamid Elasmar, de 43 anos, y Amjad Mahmood, de 31, segundo informações da diretora da divisão de terrorismo da Procuradoria, Sue Hemming.Os cinco deverão comparecer ainda nesta sexta-feira no tribunal londrino de Westminster.Oito pessoas foram detidas na quarta-feira da semana passada na cidade de Birmingham, na Inglaterra em relação ao suposto plano de seqüestro. Três dos presos já foram libertados.Os cinco acusados serão questionados por várias atitudes em benefício ao terrorismo entre os anos de 2000 a 2006.Muçulmanos descontentes no Reino UnidoCom a onda de investigações contra o terrorismo no Reino Unido, os muçulmanos que vivem no país se sentem incomodados com a intensa pressão da polícia britânica sobre eles, mesmo os inocentesTayib Rauf vive na mesma quadra onde nove muçulmanos foram presos nas últimas semanas acusados por participação em ações terroristas e também no polêmico plano do seqüestro do soldado britânico. "Lembrei de coisas que não gostaria de lembrar", disse Rauf, que já foi preso injustamente pela polícia britânica. "Cada dia me sinto mais incomodado em viver com este preconceito e outros como eu sofrem do mesmo problema aqui".O analista de segurança e membro da Scotland Yard Peter Power disse que a polícia se vê obrigada a agir com menos informações por conta do risco que o terrorismo causou nos últimos anos."A polícia é obrigada a agir antes. Com esses casos não dá pra esperar", disse Power, se referindo aos inocentes que muitas vezes são presos e, em seguida, soltos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.