Jaime Saldarriaga/Reuters
Jaime Saldarriaga/Reuters

Cinco militares colombianos morrem em emboscada de dissidentes das Farc

A emboscada do Exército coincide com a chegada ao país dos embaixadores do Conselho de Segurança da ONU para avaliar o estado do processo de paz com a ex-organização paramilitar

Efe, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2019 | 06h07

BOGOTÁ - Pelo menos cinco soldados colombianos morreram nessa quinta-feira, 11, em uma emboscada que ocorreu perto do município de Cumbitara, na fronteira da Colômbia com o Equador. Forças entraram em confronto com grupo dissidente das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Uma fonte do ministério da Defesa disse à agência Efe que houve um confronto armado nas imediações da aldeia de Santa Rosa, que faz parte de Cumbitara, vila localizada em uma área montanhosa. O secretário de Governo da região, Mario Viteri, disse que os soldados foram mortos quando dissidentes  das Farc, a Frente 29, emboscaram o caminhão onde estavam.

"No município de Cumbitara, no setor rural, houve uma aparente emboscada que acabou com a morte de cinco soldados. A ação é atribuída à dissidência Frente 29 das Farc", afirmou o funcionário em um comunicado publicado em redes sociais. A Defensoria do Povo disse que estava ciente do ataque que "causou a morte de alguns soldados profissionais".

No departamento de Nariño, onde fica Cumbitara, há movimentos dissidentes das Farc, do Exército de Libertação Nacional (ELN) e grupos de origem paramilitar dedicados ao narcotráfico e agrupados nas Forças de Autodefesa da Colômbia (AUC). A emboscada do Exército coincide com a chegada ao país dos embaixadores do Conselho de Segurança da ONU para avaliar o estado do processo de paz com as Farc, assinado em novembro de 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.